Tênis – História, Notícias e Informações

Melbourne, Londres, Paris e Nova Iorque?

O que essas cidades têm em comum? Todas elas sediam os mais importantes torneios de tênis do mundo. Seja na grama, no saibro ou nas quadras de piso duro: sempre vai ter topspin, voleio, ace – game, set e match! A bola de tênis quica em todos os lugares! O tênis se tornou um dos jogos mais praticados do mundo dos esportes, principalmente com a ascensão de Roger Federer e Rafael Nadal.

Em uma partida de tênis, os jogadores, equipados cada um com uma raquete, tentam bater na bolinha amarela coberta de feltro e lança-la para o lado do oponente sem que ele consiga retornar. Para complicar (ou ajudar) a quadra é divida ao meio por uma rede. A quadra tem suas medidas no pé inglês (1 ft = 0.3048 m). Ela mede 78 pés (23.77m) por 27 pés (8.23m) para as partidas individuais e por 36 pés (10.97m) em partidas de duplas. As linhas de fundo e de lado delineiam os vários lados da quadra. As linhas também contam como parte da quadra. Isso quer dizer que se a bola bate em alguma das linhas, mesmo que parcialmente, a bola ainda está em jogo. A bola tem que ser jogada de volta para o oponente antes que ela quique duas vezes no lado da quadra do jogador que a recebeu, e ele deve jogá-la da forma mais inconveniente possível através das várias técnicas de rebater. Além dos tiros básicos como o forehand e o backhand (com uma ou as duas mãos), os jogadores influenciam o paço, trajeto e destino da bola através de outros truques. Se o jogador aplicar o backspin na bola, ele produzirá uma trajetória mais baixa; se ele aplicar o topsin, a bola cairá antes e mais rápido que o normal. Seja um jogador mais de fundo, como o Nadal, ou de saque e voleio como Boris Becker, no tênis tem espaço para cada um achar seu jeito de jogar.

O tênis tem se desenvolvido muito rapidamente nas últimas décadas, em reflexo a melhora na velocidade e porte físico dos atletas. O começo dessa era se deu no final dos anos 1960 concomitantemente à comercialização do esporte, que revolucionou o tênis em várias áreas e alterou seu status de exclusivo para massificado.

Anterior a essa era, apenas amadores podiam participar dos torneios. Desde o início, apenas “amadores” podiam participar dos torneios ou pertencer a clubes de tênis. Esta regulação foi usada depois nos Jogos Olímpicos e permaneceu válida até 1968. Um “amador” era definido como o jogador ideal típico, que não praticava o esporte por motivações financeiras, mas por amor ao jogo. Na verdade, as camadas mais baixas da sociedade eram excluídas dos torneios, já que apenas os “gentios” da alta sociedade podiam pagar as mensalidades dos clubes e as taxas de adesão dos torneios. Desde então, o ano no mundo do tênis se orienta em quatro grandes campeonatos, os Torneios Grand Slam. Começando com o Aberto da Austrália em Melbourne em Janeiro, seguido do Aberto da França em Paris, a bola entra em quadro de novo um pouco depois em Wimbledon, Londres, onde os jogadores mais tradicionais vestem apenas branco e jogam em quadras de grama. O último Grand Slam, o US Open, é jogado em Nova Iorque, em Flushing Meadows. Até agora, só existiram oito jogadores que conseguiram vencer cada um desses torneios. Fred Perry em 1935, Donald Budge em 1938, Rod Laver em 1962 e 1969, Roy Emerson em 1964, Andre Agassi em 1999, Roger Federer em 2009 e Rafael Nadal em 2010. Roger Federer é o maior vencedor de Grand Slams de todos os tempos. O suíço venceu 17 torneios, mas ainda não foi capaz de vencer o famoso “Grand Slam”, que é quando o jogador vence todos os quatro torneios em um único ano. Apenas Rod Laver (em 1962 e 1969) e Donald Budge (em 1938) foram capazes de conseguir esse título.

A organização que regula todos esses torneios é a ATP (Associations of Tennis Professionals), que foi fundada por jogadores ativos durante o US Open de 1972. Por conta de problemas e divergências das organizações predecessoras, ILTF (International Lawn Tennis Federation) e WCT (World Championship Tennis), a ATP foi capaz de garantir mais influência e foi responsável pela era moderna do tênis, ao lançar os rankings mundiais ATP. No mesmo período, as jogadoras ativas de tênis fundaram a WTA (Women’s Tennis Association) durante o Torneio de Wimbledon de 1973, que regula até hoje a categoria feminina do esporte. A jogadora Billie Jean King (membra do Hall da Fama Internacional de Tênis) foi uma das fundadoras e a primeira presidente do WTA.

Com o crescimento pelo interesse das partidas disputadas em duplas, fica cada vez mais evidente que o tênis não é um esporte de apenas um jogador. Nessa modalidade, duas duplas se enfrentam (masculinas, femininas ou mistas). As duplas também são disputadas para descobrir qual é o melhor país: para os homens é a Davis Cup, e para as mulheres é a Fed Cup. Cada país envia seus melhores jogadores para o país sede, que pode escolher o tipo de quadra, para que tenha um tipo de vantagem sobre os outros. Além desses grandes torneios, existem outros, menores, mas tão importantes quanto para acumular pontos nos rankings mundiais ao decorrer do ano. Em 2014, Novak Djokovic estava no topo do ranking e era seguido pela elite do tênis: Roger Federer da Suíça, Rafael Nadal da Espanha, Stan Wawrinka da Suíça, Kei Nishikori do Japão e Andy Murray da Escócia. Com a mudança na regra, em que agora os participantes devem defender os pontos acumulados nos últimos torneios, não é possível apenas focar nos quatro Grand Slams, mas lutar por seus pontos também nos torneios menores. Quem é capaz de superar Djokovic em 2015 e chamar a atenção para si no Aberto da Austrália?